A Funatura deu início, nessa terça-feira (8/06), às pesquisas em campo para a elaboração do plano de manejo do Monumento Natural dos Cânions do Subaé (MNCS), em Santo Amaro da Purificação, na Bahia. Estão sendo analisadas as áreas de avifauna (aves), mastofauna (mamíferos) e herpetofauna (répteis), além da vegetação, meio físico e socioeconômico.

Nesta etapa, os pesquisadores estão em campo, juntamente com os coordenadores do trabalho, a bióloga Gisele Sessegolo e o engenheiro ambiental Alessandro Neiva, aplicando a metodologia de Avaliação Ecológica Rápida (AER), em locais predefinidos entre os pesquisadores e o gestor da unidade de conservação estadual.

Segundo Gisele, a AER contempla um levantamento flexível, rápido e direcionado das espécies e tipos vegetacionais existentes na área, relacionando com as condições de relevo e paisagem. O método por AER utiliza uma combinação da interpretação de imagens de satélite, coletas de dados de campo e visualização de informação espacial com a finalidade de gerar informações úteis para o planejamento da área protegida.

A AER resultará na caracterização de unidades classificadas da paisagem e na descrição da fauna e flora destas unidades em nível de espécie. Resultarão dados biofísicos básicos, mapas, e relatórios, os quais serão sobrepostos e correlacionados, de modo a embasar o processo de decisão, para o zoneamento e o manejo do MNCS.

Após essa caracterização ambiental, a Funatura dará início as atividades de consulta às comunidades do entorno da unidade de conservação, por meio de oficinas presenciais ou virtuais. Nessas oficinas, os dados produzidos em campo serão compartilhados com as comunidades.

ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA

A Funatura assinou, em setembro de 2019, acordo de cooperação técnica com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente para elaboração de planos de manejo para Unidades de Conservação (UCs), na Bahia, com a participação do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e a interveniência da empresa Enel Green Power Primavera Eólica S.A., empreendedor responsável pelo adimplemento da compensação ambiental. Está prevista a aplicação de mais de R$ 1,2 milhão na realização de três planos de manejo.

As UCs beneficiadas com os planos de manejo são: Monumento Natural Cânions do Subaé, Parque Estadual da Serra dos Montes Altos, e Refúgio de Vida Silvestre da Serra dos Montes Altos.

A Funatura já elaborou 19 Planos de Manejo, sendo quatro federais, três estaduais e 12 particulares. Entre os mais relevantes, estão: Parque Nacional Grande Serão Veredas, Reserva Biológica Atol das Rocas, Parque Nacional Marinho Fernando de Noronha, Parque Nacional de Brasília, Parque Estadual da Serra das Araras (MG), Estação Ecológica Estadual Wenceslau Guimarães (BA), Arie Santuário de Vida Silvestre Riacho Fundo (DF) e várias Reservas Privadas de Patrimônio Natural (RPPNs), especialmente no estado de Goiás.