Nesta terça-feira (26/05), a Funatura participou do 6ª Reunião do Conselho Consultivo do Parque Estadual da Serra de Caldas Novas enquanto instituição responsável pela elaboração dos novos Planos de Manejo e de Uso Público da Unidade de Conservação (UC) goiana. O Parque foi criado em 1970 para proteger a área de captação da chuva que abastece o lençol termal, onde ocorre a geotermia que gera o grande atrativo turístico do primeiro parque do estado de Goiás.

“Prezamos por assegurar a participação social em todo o processo”, destacou o superintendente executivo da Funatura, Pedro Bruzzi, ao apresentar o plano de ação aos 52 participantes da reunião on-line. Durante o encontro, foi criado grupo de trabalho, com diferentes setores da sociedade, para acompanhar a missão.

O Plano de Manejo é um instrumento de planejamento e gerenciamento de UCs, composto por estudos, conhecimentos e análises de dados, com propostas de soluções para questões ambientais.

“Queremos elaborar documentos úteis para o gestor do Parque e que orientem experiências positivas aos visitantes”, afirmou a coordenadora-geral do trabalho pela Funatura e geógrafa Mara Moscoso. O plano seguirá metodologia orientada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, indicando normas de uso para o Parque.O coordenador técnico do Plano de Uso Público, José Aurelio Caiut, também afirmou a importância da participação social. “Esperamos chegar num documento que atenda às expectativas da comunidade local”, disse. A coordenadora do Plano de Manejo, Veronica Theulen, ressaltou que haverá um canal aberto com os diferentes setores da sociedade.

PRIMEIRA VISITA TÉCNICA

No Dia Internacional da Biodiversidade, 22 de maio, a Funatura realizou a primeira visita técnica de reconhecimento do Parque Estadual da Serra de Caldas Novas (PESCaN) . “Visitamos os pontos turísticos mais importantes, como a Rua de Pedra e o Mirante do Minério e conversamos com os gestores e a equipe do Parque para retornarmos, no mês que vem, com os pesquisadores”, relatou Mara Moscoso.

O superintendente da Funatura, Pedro Bruzzi, que acompanhou a visita destacou que a atualização do Plano de Manejo e a elaboração do Plano de Uso Público abrem uma oportunidade única. "Elevar o turismo de água quente para uma atividade que promova a maior integração da sociedade com a natureza, promova a educação ambiental e o desenvolvimento sustentável local é muito importante", enfatizou.

Em junho, a Funatura fará uma nova visita técnica em campo, com o uso de drones para sobrevoo da área, a fim fazer o mapeamento dos atrativos de uso público. Outras visitas estão previstas para levantamento dos meios socioeconômico e físico, além de fauna e flora.

Em julho, após a validação dos diagnósticos pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Goiás, serão realizadas oficinas on-line para levantar colaborações da sociedade civil ao Plano de Manejo.

O PESCaN foi reaberto esta semana (24/05) e os turistas estão começando a visitá-lo novamente, com as recomendações sanitárias necessárias no contexto da pandemia de Covid-19.

Matéria relacionada: Plano de Manejo do Parque da Serra de Caldas Novas passa por atualização