Em sintonia com o tema do Dia da Terra 2021, “Restaure nossa terra”, a Fundação Pró-Natureza (Funatura) celebra a criação da Reserva Privada do Patrimônio Natural (RPPN) Bacupari. A nova Unidade de Conservação recebeu apoio do projeto Reservas Privadas do Cerrado, executado pela Funatura, com financiamento do Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF, na sigla em inglês) e parcerias do Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB)  e Instituto Cerrados.

A RPPN Bacupari está localizada no município de Cavalcante, em Goiás, próxima ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. A oficialização da área nessa categoria de Unidade de Conservação se deu por meio de portaria publicada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) no Diário Oficial da União, em 14 de abril. Leia a íntegra aqui

O proprietário da reserva, Fábio Padula, se diz muito feliz com a conquista. “Agradeço o apoio do parceiro local Instituto Cerrados e das demais organizações envolvidas no processo de criação da reserva. Essa conquista demonstra o esforço que venho dedicando à propriedade, há quase 20 anos, cuidando e zelando dessa área como se já fosse uma RPPN”, salienta Padula.

O coordenador técnico do projeto, Laercio Machado de Sousa, destaca que a criação de novas RPPNs é um dos objetivos do Reservas Privadas do Cerrado. “A meta era 50 e já passou para 70. Promovemos a conservação dos recursos naturais por meio do incentivo à criação, expansão e gestão eficaz das reservas em um dos biomas mais ameaçados do Brasil”, diz.

Segundo ele, o Cerrado já conta com 253 RPPNs, protegendo cerca de 183 mil hectares. “Em nosso banco de dados, existem 73 áreas cadastradas, das quais 35 recebem auxílio ou informação durante os processos de criação das reservas junto aos órgãos ambientais”, conclui Laércio. “Com o banco de dados em dia, podemos ter uma ideia da demanda de criação, identificar proprietários que estejam com alguma dificuldade por motivos burocráticos e auxiliá-los”, explica.

RPPN BACUPARI

A reserva Bacupari abrange 36,80 hectares na zona de amortecimento norte do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e da Reserva da Biosfera Goyaz, declarada pela Unesco, além da Área de Proteção Ambiental do Pouso Alto. A Bacupari colabora para a proteção da bacia do Rio Almas e micro bacia do Rio São Bartolomeu, afluentes que alimentam o “berço das águas” do Brasil, outra designação para o Cerrado.

O local é privilegiado e rico em fisionomias cerratenses, como campos rupestres, cerradão e mata de galeria, todas preservadas – um refúgio para animais silvestres como anta, capivara, queixada, lobo guará, veado campeiro, tamanduá, teiús e uma infinidade de aves. Já foram avistadas por lá soldadinho, martim pescador, siriemas, tucanos, araras e tantas outras.

O CERRADO

Considerado a maior região de Savana Tropical da América do Sul, o Cerrado possui cerca de dois milhões de quilômetros quadrados, espalhados por nove estados e o Distrito Federal: São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Bahia, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Piauí.

Na região, estão concentrados 30% da biodiversidade do Brasil e 5% das espécies do planeta, mais de 12 mil espécies de plantas e 2,3 mil espécies de vertebrados, incluindo os maiores canídeo e felino da América do Sul, o lobo-guará e a onça-pintada.

As três maiores bacias hidrográficas da América do Sul têm origem no Cerrado: Amazônica/Tocantins, São Francisco e Prata; e os três dos principais aquíferos do país: Bambuí, Urucuia e Guarani.

Agricultores familiares, comunidades tradicionais, quilombolas e populações indígenas compõem a identidade social do bioma e guardam patrimônio cultural de valor imaterial reconhecido.

PROJETO RESERVAS PRIVADAS DO CERRADO

O Projeto Reservas Privadas no Cerrado teve início em outubro de 2019, com a finalidade de incentivar a criação de RPPNs no Bioma Cerrado.

É executado com recursos do CEPF, uma iniciativa conjunta da Agência Francesa de Desenvolvimento, Conservação Internacional, União Europeia, Fundo Global para o Meio Ambiente, Governo do Japão E Banco Mundial. É meta do projeto garantir que a sociedade civil esteja envolvida com a conservação da biodiversidade.

DIA DA TERRA

O Dia da Terra foi comemorado pela primeira vez nos Estados Unidos, no dia 22 de abril de 1970. No primeiro Dia da Terra, o senador americano Gaylord Nelson (1916-2005) organizou um fórum internacional sobre meio ambiente.  Atualmente, o Dia da Terra é comemorado por aproximadamente mais de 500 milhões de pessoas ao redor de todo o mundo. A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) intitula esta data como Dia Internacional da Mãe Terra.