Arco Brasília (90 km), Trilha União (90 km) e Arco Cafuringa (150 km) são os três percursos do projeto Caminhos do Planalto Central (CPC), premiado este mês pela Secretaria de Turismo do Distrito Federal, no 1º Prêmio Brasília: Novo Olhar para o Turismo. Fruto do trabalho de um grupo de voluntários, o projeto está criando um sistema de trilhas de longo curso no Distrito Federal (DF).

As trilhas são caminhos para serem percorridos a pé, em bicicleta ou a cavalo. Passam por Unidades de Conservação Federais e Distritais – que correspondem a mais de 90% do território do DF, como o Parque Nacional de Brasília e a Reserva Biológica da Contagem (abaixo a lista completa). No percurso, também estão mapeadas escolas, templos religiosos, monumentos, comunidades e atrativos turísticos.

O Fórum de ONGs Ambientalistas do DF, do qual a Funatura faz parte, compõe a Coordenação Colegiada do CPC e lidera as ações relacionadas ao meio ambiente. “É o 1º movimento no DF em que conseguimos reunir pessoas de tantas origens e formações diferentes. As pessoas estão com necessidade de ter contato com a natureza e se dedicar ao trabalho voluntário. As atividades no projeto vão da exploração de trilhas a mapeamento dos atrativos, sinalização e elaboração de textos”, conta a geógrafa e pesquisadora ligada à Funatura, Mara Moscoso, umas das voluntárias do projeto.

DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL

“Fui convidada a participar do Projeto para coordenar as ações de meio ambiente. Comecei  organizando as informações que já existiam, trouxe conceitos de desenvolvimento ambiental e territorial, integração das unidades de conservação e a relação das trilhas com as políticas públicas. São quase 400 km de trilha já mapeados, conectando 20 UCs”, explica Mara.

Ela destaca o apoio e a participação ativa do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) com a participação dos gestores, de brigadistas florestais, carros e confecção e instalação da sinalização na APA do Planalto Central.

“Queremos incentivar um turismo consciente e democrático, com acesso a todos, uma série de boas práticas na natureza e conhecimentos sobre flora e fauna. Mesmo na trilha dentro da parte urbana de Brasília, no Eixo Monumental, pode-se avistar corujas buraqueiras, carcarás e outras aves nativas do bioma Cerrado, por exemplo”, lembra Mara Moscoso.

O grupo de voluntários do projeto escreveu um Projeto de Lei, que foi defendido pela frente ambientalista na Câmara Legislativa do DF e está tramitando para ser aprovado. Neste mês de dezembro, foi realizada a primeira Audiência Pública. O texto do PL está recebendo contribuições. Para conhecer e contribuir, acesse aqui.  

“O PL reconhece o CPC como um Sistema Distrital de Trilhas Ecológicas  e as trilhas passam a serem consideradas Áreas Protegidas, fazendo parte das Políticas Florestal e Ambiental do DF, de forma a garantir os incentivos relacionados à conservação que a política pública oferece”, ressaltou Mara Moscoso. O projeto Caminhos do Planalto Central integrará a Rede Brasileira de Trilhas.

SÍMBOLO

A Torre de TV Digital, projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer e inspirada na flor do Cerrado caliandra, é o símbolo do CPC. Desenhada ao centro de uma pegada típica de calçado para longas caminhadas, a Torre representa um diferencial de Brasília enquanto cidade: a integração entre o Cerrado e arquitetura moderna. Nos demais estados do Brasil, a pegada se mantém e mudam os símbolos ao centro de cada uma delas.

“As trilhas vêm sendo sinalizadas de forma colaborativa, com tinta spray e máscara de stencil, sobre postes, pedras, troncos ou tótens de madeira. Qualquer pessoa pode participar como voluntário nesse tabalho”, destaca Mara. A sinalização obedece a convenção de cores estabelecida pela Rede Brasileira de Trilhas: na direção oeste-leste, pegada amarela sobre fundo preto; na direção leste-oeste, pegada preta sobre fundo amarelo.

POR ONDE AS TRILHAS PASSAM

Unidades de Conservação Federais: Parque Nacional de Brasília; Rebio da Contagem; Floresta Nacional de Brasília; APA do Planalto Central e do Descoberto.

Unidades de Conservação Distritais: ESEC Águas Emendadas; Monumento Natural Morro da Pedreira

Parques: Copaíbas, Dom Bosco, Cachoeirinha, Paranoá, Sucupira e Sementes do Itapõa

APA: do Lago Paranoá, de Cafuringa e do São Bartolomeu

ARIE: Missão Cruls, Paranoá Sul e Setor Habitacional Dom Bosco

Parques Urbanos: Bosque dos Constituintes e Vila Planalto

 Confira as redes sociais do Caminhos dos Planalto Central:

Instagram

Facebook

Youtube