O sonho de proteger o Cerrado

Há 15 anos, era só o que havia: 13 milhões de hectares de Cerrado na região dos Gerais, imensos e desprotegidos contra a rápida e desordenada ocupação, agravada pelo asfaltamento da BR 020 e o baixíssimo custo das terras. A luta para a criação de uma Unidade de Conservação que garantisse a integridade do bioma dos cenários da obra de Guimarães Rosa começou em 1986, encabeçada pela Funatura. Foram três anos de luta, até o Parque Nacional Grande Sertão Veredas ser criado, com a assinatura do Decreto Lei 97.658, de 12 de abril de 1989.  

Em 2004, ano que se comemoraram os 15 anos do Parque, o Grande Sertão teve finalmente sua área ampliada, através da assinatura de Decreto em 21 de maio, véspera do Dia Internacional da Biodiversidade. Por meio dele, ficou garantida a proteção de 231 mil hectares ameaçados pelo avanço da agricultura, pelos desmatamentos criminosos, pela construção de estradas e pela proliferação de carvoarias clandestinas. 

Administrado em co-gestão entre a Funatura e o Ibama, o Parque Nacional foi, por muitos anos, o principal projeto desenvolvido pela Fundação, a partir do qual vários outros foram iniciados e estão em pleno desenvolvimento, não apenas relacionados à implementação de Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) na região do entorno, como outros de incentivo à criação de outras categorias de Unidade de Conservação e desenvolvimento sustentável nas comunidades próximas.

Conhecer e garantir a preservação do Grande Sertão, muito antes até de sua criação, sempre esteve entre as prioridades da Funatura, responsável inclusive pela elaboração de seu Plano de Manejo, principal referência para centenas de pesquisadores e estudos realizados ao longo dos anos.

Parna Grande Sertão Veredas Fomoso MG Foto Paulo Henrique G. de Souza 1