Nesta terça-feira (28/07), o Conselho de Curadores da Fundação Pró-Natureza (Funatura) realizou a 153ª reunião, de forma virtual devido à pandemia da Covid-19. Os integrantes do Conselho e outros participantes da instituição debateram uma pauta extensa durante três horas e meia de encontro.

Cada conselheiro incialmente se apresentou e em seguida foi convidado, pelo diretor-presidente da Funatura, Braulio Dias, a trazer sugestões e possíveis contribuições para os novos projetos que estão sendo gestados pela instituição. Zoólogos, botânicos, engenheiros florestais, agrônomos, geólogos, educadores e ambientalistas com trajetórias expressivas na conservação do meio ambiente, e especialmente do Cerrado, deram suas contribuições.

Essa dinâmica entre conhecimento técnico-científico e trabalho de conservação da natureza é uma marca da Funatura. Entre os projetos que estão sendo preparados, estão propostas para unir a conservação com a sustentabilidade do agronegócio no bioma Cerrado.

“Muitos agricultores estão interessados em produzir com sustentabilidade. A adoção de práticas sustentáveis aliada à restauração ambiental pode melhorar a qualidade e produtividade dos produtos do agronegócio, além de proporcionar o Selo Verde que as empresas precisam para comercializar internacionalmente”, destacou Braulio Dias.

Os conselheiros foram atualizados sobre os projetos em andamento pelo novo superintendente executivo da Funatura, Pedro Bruzzi Lion. São eles: Monitoramento da Biodiversidade nas Áreas da Suzano S.A. Celulose; Implementação das Ações Prioritárias do Plano de Ação Nacional (PAN) Pato Mergulhão Mergus octosetaceus; Projeto Fundo de Investimento Florestal (FIP) Coordenação; Reservas Privadas do Cerrado (RPPN/CEPF); e Acordos de Cooperação com a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) do governo da Bahia para elaboração dos Planos de Manejo de três Unidades de Conservação Estaduais.

NOVOS MEMBROS

Entre os atuais conselheiros, Herbert Otto Roger Schubart e Jorge Gomes do Cravo Barros anunciaram a saída do Conselho de Curadores. Segundo a nova configuração do Estatuto da Funatura, que será revisado em breve, eles terão o título de conselheiros eméritos.

O engenheiro florestal e superintendente executivo da Funatura por 30 anos, Cesar Victor do Espírito Santo, falou sobre a conclusão de ciclo de trabalho e sua saída do cargo, ao lado do tesoureiro Eduardo B. Passos. “Agradeço aos conselheiros pelo empenho que sempre demonstraram e desejo que a Funatura possa continuar atuando fortemente na defesa do meio ambiente do Brasil”, disse

O também engenheiro florestal Pedro Bruzzi Lion foi nomeado o novo superintendente executivo e Paulo Henrique G. de Souza assume a tesouraria, além da parte administrativa e financeira.

Foram convidados para integrar o Conselho Fernando Souza, do Grupo Cataratas (gestor dos Parques Nacionais do Iguaçu, Tijuca e Fernando de Noronha) e Marco Pavarino, atuante da área de agricultura familiar no Ministério da Agricultura.

O ex-diretor-presidente Aldenir Paraguassú foi eleito o novo presidente do Conselho de Curadores, que é composto, no mandato 2020-2023, pelos seguintes profissionais:

Aldenir Paraguassú

Braulio Ferreira de Souza Dias

Herbert Otto Roger Schubart (em migração para Conselheiro Emérito)

Jader Soares Marinho Filho

João Carlos de Souza Carvalho

Jorge Gomes do Cravo Barros (em migração para Conselheiro Emérito)

Lídio Coradin

Ludmila Aguiar

Maria Beatriz Maury de Carvalho

Maria Tereza Jorge Pádua

Nikolaus Hubertus Josef Maria von Behr

Ricardo Bonfim Machado

Ricardo do Monte Rosa

São atualmente presidentes de honra do Conselho de Curadores Maria Tereza Jorge Pádua e Henrique Brandão Cavalcanti, fundadores da instituição. Como membros honorários estão Carlos Alberto Xavier, Estanislau Oliveira e Cleber J. Rodrigues Alho.